segunda-feira, 24 de março de 2014

thirty six ♡

Nem ficamos por ali. Entramos nos carros de novo e fomos pra vila. Chegando lá a gnt foi pra cabine de baixo, do lado do campo. Ia ter Santos x Palmeiras. Nos acomodamos lá e ficamos conversando. Os mlks zuando pra caraio como sempre. Hoje veio um bondezinho já que daqui a gente vai fazer um esquentinha na praçinha da nossa rua kk. Esquentinha da sábado segundo os meninos. Sábado tem Guaru. Ganhamos a apostinha né kk. Bom, depois de uns minutos o jogo começou. Já com o Santos atacando e o Palmeiras na defensiva. As jogadas foram começando pelas lateirais, sempre que o Santos chegava as finalizações, o Palmeiras dava um jeito de se defender e roubar a bola. E foi assim até os 31 desse primeiro tempo. Um lateral do Palmeiras cruzou e foi tocando com os parceiras até chegar no meio campo. Lá um carinha driblou uns 3 do Santos e chutou forte. Caiu no pé do Valdívia que mandou certeiro pro Gol. Gol do Palmeiras -.- , apenas silêncio kk. O primeiro tempo ficou assim mesmo. No intervalo continuamos conversando e tal.- Liza: e a Rafinha? saudade Jota: Ratinha só quer saber de namorar. Mari: e tem que ficar só com ele agora? Dinha: é , mó feio isso. Gil: ow, deixa a menina meo. Primeiro namoradinho dela, deixa ela curtir. -falou meio bolado- Gui: tá bolado criança? -rimos- Mari: tá nervosinho ele hoje. que foi Gil? tuas piranha não te deu moral hoje? Gil: hahaha -riu irônico- depois sou eu que tô bolado mano. Gustavo: ih caraio, achei que o MariMar tinha se entendido -rimos-Gui: é meo, eu shippo vocês -rimos de novo. Inclusive o casalzinho.- Liza: vai mano, beija logo. Dinha: é , vai. Beija, Beija, Beija -cantamos batendo palma kk. Os dois boboca começaram a dar risada. A Mari colocou a mão no rosto. O Gil tirou e deu mó beijão nela. Foi mó auê no final né kk. Continuamos nessa clima, quando voltou o jogo e a gente voltou a atenção pra lá. Tava muuuito parado. Só nos toques de bola e sem nenhum susto. Isso até dar 11 minutos. Santos foi cobrar o escanteio com o Ph. Ele chutou, foi direto na cabeça do André, que fez um gol de cabeça. A gnt comemorou pra caramba kk, depois sossegamos.- Gui: aê quem vai cmg no mercado rapidão? Dinha: fazer o que lá? Gui: ah,sei lá, dá um oi pros funcionários .. não sei. -rimos- Dinha: ai seu tapado -deu um tapa na cabeça dele e riu.- Gui: vou comprar as birita pra depoiss Jota: porra Gui, tu não comprou? Gui: esqueci mano -riu- Gustavo: só não esquece a voz de macho pra não descobrirem que é gay. -gargalhamos- Gui: ai , tu foi o primeiro a descobrir né? bem lembrado -fez voz de gay e o Gus riu- eai, quem vai? -todo mundo meio que falou "eu vou".- então bora todo mundo. Liza: depois vão me trazer de volta pro ct. Gil: lógico né antinha -dei lingua pra ele e fomos saindo. Olhei pro campo vendo o Ph e sorri por dentro. Saí de vez com eles. Nos dividimos no carro do Gil e o do Gus.- Gil: tem mercado por aqui? Mari: tem o extra virando ali -apontou- Gil: ah sim, vamo no pão de açucar né? Dinha: oi? pra quê menino? mercado é tudo igual né playboy
Liza: é,vira aí logo -ele riu e virou. Paramos no estacionamento do extra.O Gus encostou na vaga do lado. Fomos entrando lá.Andando pelos corredores e tal.- Gui: óia Liza, cadê tua carinha aqui ? -falou pegando um pote de maionese da marca Liza-.-- Liza: ai querido,tu acha que eu vou me expor ? não né -dei um beijinho no meu ombro e ri. Continuamos andando por lá e zuando p caraio. Incrível como esses mlks causam nos lugares. O Gui, o Gustavi e o Jota,pegaram uns carinhos vazios que tavam por lá e começaram a jogar o carrinho um no outro. A gnt só cascando o bico. Jogaram lá no Gil e ele fez mó cara feia.- Gil: eae meo, para de criancisse vocês eu .. -quando ia terminar de falar a Mari jogou um carrinho nele. Começamos a rir da cara dele. Ele acabou rindo tbm.- Gil: ah é assim? tu vai ver-ele veio pra "pegar" ela. Ela colocou um carrinho na frente lá. Ele pegou a mão dela e eles se beijaram. Olhei pra Dinha e ela tava com o celular apontado.- Gustavo: ai que casalzin mais lindo xeenti -riram e o Jota e o Gui fizeram coração com as mãos kk.- Dinha: ó Mari, tirei uma foto de vcs -ela pegou o celular e viu- Mari: vou postar tá -a Dinha assenti. Ficamos do lado vendo ela postar.- mabittencourt: Rabugento do meu core  @gilcebola
[@] docinhosdogil: aii mds que amor! 
[@] ceboletes: Lindos, gostosos e meus   
[@] danifreitas: Lindo vcs amiga
[@] princesamari: meus amores, que felicidade em ver essa foto. Torço eternamente por esse amor.
[@] leosoares: tops               [@] teusorrisogil: meu casal, coisa mais linda esses dois. Tá aí pra quem tava falando merda dos dois. Querendo a infelicidade. Ta aaaaí ! [@] nacamadogil: vai se acabar no mercado com cartão do Gil kkk [@] timemarimar: ai menina cala sua boca, ela não é pérrapada igual vc! @nacamadogil [@]bondedotois: casal top do #toiss Paramos de ver os coments. Fomos atrás dos meninos que tinham sumido rs. Quando achamos eles tavam com as coisas na mão já pra ir pro caixa. Fomos pro mesmo com as coisas. Eles passaram lá no cartão do Gil como a mina do coment falou. Se fudeu kk. Voltamos pros carros e partimos rumo ao ct de novo. O jogo deve ter acabado já. Peguei o cel , desbloqueei e fui ver minhas coisas no insta. Fui vendo as postagens e vi user da Giovanna. Parei pra ver, claro.- gicosti: Voltei gnt! tempinho sem vir aqui. Agora sim tudo está indo pro rumo certo. Meu herói está melhorando. Logo logo volta pra baixada com a gente. Sinto que depois dessa tempestade tudo vai voltar pro lugar. Brigada pelo apoio de todos os amigos, familiares e meu amor. Deus está no comando! #fésempre #amémsenhor
[@] divagicosti: tava cm sdd diva, fico feliz, Deus vai continuar no comando 
[@] reasonph: Linnndaa meu amor, tudo já melhorou com ctz 
[@] brunarosetti: paidrasto Edu é mesmo um herói amiga. Pode ter ctz que ele já é um vencedor. sdd de vc, me liga
[@] teampaugi: Meu amor,Fica bem que quem te ama tá cntg. E n liga pras fofocas quem andam saindo
[@] ayumitoguchi: aii amg, que bom ver você reagindo assim como o tio Edu. te amo viu? 
[@] fabigomes: Lindaaaa, o que houve com seu pai? 
Ai meo, parei de ler aquilo. Fiquei completamente confusa. Vendo a legenda parecia que com "meu amor" ela queria provocar. Mais cheguei a ficar com pena dela tbm. Na verdade, pena mesmo eu tenho do pai dela. Torço mais do que ninguém pra ele melhorar. E só de pensar que ela pode tá usando essa doença pra segurar homem tenho vontade de vomitar.Só que no momento mesmo eu senti vontade de provocar assim como ela. Enfim, chegamos lá no ct e tinha uma pá de fã na porta.Entramos lá, descemos do carro e fomos indo pra dentro. Alguns jogadores já tinham chegado nas vans. E os outros tavam vindo no ônibus mesmo.[..] Bom, depois de uns minutinhos ouvi uns gritos e devia ser eles chegando. Esperei mais uns minutinhos e eles foram entrando lá. Assim que vi o Ph abri um sorrisão. Ele olhou, deu um sorriso tbm e subiu.- 
Gui: hmmmmm , olha o sorrisinho dela. 
Jota: é , ficou ourissadinha foi ? -riram- 
Liza: cala essas matraca ow carentes. 
Gui: vem calar -riu- 
Liza: se tá pensando que vai ser com beijo, vai ser com um soco que quebra os dente e entope tua goela. 
Gui: noooossa, que agressiva -rimos. Esperei mais um pouquinho até que ele descesse. Quando finalmente desceu com o Junior foi cumprimentando todo mundo. Quando chegou em mim, me deu um selinho.- 
Liza: tá querendo conversar alguma coisa? 
Ph: é, vai no meu carro comigo? -assenti. Ele falou lá com os meninos e depois fomos saindo. Entramos nos carros. Saimos dali junto e os outros carros atrás.- Liza: é sobre o quê? Ph: não é nada importante não. Liza: então fala né -ri- Ph: acho que daqui uns dias a gnt já pode ficar em paz Liza: porque? a Giovanna vai morrer? -ele me olhou me repreendendo- e não é o único jeito da gnt ficar em paz? Ph: você sabe que o problema maior não é ela. Liza: não? usar a doença do pai não é um grande problema? Ph: tudo bem Liza, eu sei que ela tem sido muito insistente. Mais você tem que entender que a gente ficou junto um tempo bom. Ela ainda gosta de mim e ..-interrompi- Liza: e você ainda gosta dela ? -ele me olhou de imediato. Olhei pra direção e vi um carro virando rapidão bem de frente pra gnt- O CARRO! -gritei e ele freou bruscamente. Quase bati a cabeça no vidro e coloquei a mão no mesmo. O tal carro buzinou reclamando e saiu. O Ph colocou a mão no meu ombro e eu o olhei.- Ph: tá tudo bem? Liza: que isso Paulo Henrique? só te fiz uma pergunta, não quero morrer agora não. Ph: desculpa -ele tirou o cinto, se aproximou e me abraçou- desculpa Liza, eu só não esperava que tu me perguntasse uma coisa dessas. -me soltei dele já ouvindo algum carro buzinar atrás da gnt- Liza: vai logo , tá atrapalhando a passagem. -desconversei e ele seguiu. Fomos calados até chegar na pracinha. O povo já tava lá. Ele parou o carro em volta. Descemos, ele travou o carro e veio pra perto de mim. Passou o braço pelo meu ombro e fomos andando assim-
Jota: o que aconteceu casalzin ? empacaram no meio da rua. Ph: não viram o que aconteceu não? -riu- Njr: nem po, o que ? Liza: o lezadinho aqui tava admirando minha beleza, não olhou pra direção e quase bateu o carro. Deu uma freada que eu vi meus dente quase grudando no vidro. -riram- Gui: tá preocupada com dentes hoje -rimos- Ph: sou lezadinho agora? Gustavo: hm , não deixava hein Paulinho Gil: é, dá um tratinho -riram- Liza: ah , dá um jeito aí vai Mari -a Mari riu- foca aí na tua mina vai gordinho. Gil: tô bem focado, pode deixar -puxou a Mari mais pra ele e beijou o rosto dela.- e com tratinho, quis dizer pra ele te educar né morena. Liza: aham, nem tem malícia nas tuas frases Gil -ri- Dinha: é , educar naquele pique -falou batendo as costas da mãos na palma da outra. indicando "sexo" kk.Todo mundo riu.- Gui: viu? tua amiga que falou Liza: chega dessa porra de assunto né? todo mundo é santo e virgem aqui -ri e me sentei no outro banco de frente pra eles. O Ph veio, sentou de lado e de pernas abertas no banco me fazendo ficar no meio das pernas dele.- Jota: não fala isso pq tu ainda é nova nesses assuntos Gustavo: falou o que come meio mundo -rimos.- Jota: só te imito, pego as amigas das mina que tu pega. Então peguei quantas? 3 ? -rimos de novo- Dinha: só borduada vcs -riu- Ph: como se com vcs fosse muito diferente. Mari: realmente -riu- Liza: eae, ngm vai me dar um copo não? Gui: opaa morena, pra já -pegou um copo pra por a bebida- Ph: vai beber isso mesmo? -falou só pra mim-
Liza: vou pq? tu não vai? Ph: vou. Só que tu é fraca pra beber né? tu sabe disso. Liza: fica tranquilo que eu não vou fazer parecido com aquele dia. -ri sem graça me lembrando- Ph: menos mal porque eu não quero bater em ninguém , muito menos em você -falou meio debochado- Gui: aqui ó -me deu o copo- Liza: é o que? Gui: tequila com sal e limão Liza: eiitaa, bom demais pra uma quarta-feira Dinha: é, manéra hein Paulinho, amanhã tem treino -riu vendo ele fazer o copo dele- Ph: pode deixar -sorriu e sentou de novo- Liza: então tu teria coragem de me bater? Ph: não.. só se tu pedir mesmo -gargalhei- Liza: vou me lembrar disso -falei dando um gole e vendo ele sorrir pra mim todo besta. Meu alimento era aquele sorriso dele. Me infiltrei na conversa do povo lá e a gnt tava dando muita risada e consequentemente fazendo muita bagunça.kk- Dinha: aii porra, ri mais baixo né Gil: PORQUÊ? já sou baixinho e ainda tenho que falar baixo? -gargalhamos do jeito que ele falou. tava ficando doidão já.- Gui: ih Mari, vai ter que levar o bebezão contigo hoje Mari: eu?? nem morta. Gil: nem mesmo, quero bem vivinha -sorriu bem malicioso e a gnt riu. O clima foi se descontraindo assim. Manerei na bebiba, assim como todo mundo. Menos o Gil. Tava bebinho já e a Mari não tava mais aturando kk.- Mari: porra Gil, para quieto! Dinha: é parece que tá com fogo no cú mano -riu- Ph: aí, apaga o fogo dele marizoca. Gil: não to com fogo, ela apagou esses dias
Mari: vai se ferrar Gilmar, porra! -gritou e deu um tapa na cabeça dele. Todo mundo riu.- Liza: tá o cão hoje o Gilzera. Gil: au auuu -latiu e começou a fungar no pescoço da Mari. Ela começou a rir a gnt tbm. Ele continuou com as palhaçadas lá. Depois ele ligou o som no carro dele, baixinho mais dava pra ouvir porque a gnt tava bem de frente. Ele pegou uma garrafa que tava fechada de vodka e ficou fazendo de microfone. Raxamos da voz dele kk Ele foi pra querer abrir a garrafa.- Mari: ahh nãoo, tu não vai beber mais vlh -falou tentando tirar a garrafa da mão dele mais não conseguiu. Olhou pra mim e pra Dinha. Entendemos e levantamos. O idiota começou a correr. A gnt foi atras dele dandk risada até agarrá-lo.- vai Mari, tira uma foto do lindão aqui -a Mari riu , pegou o celular lá e tirou a foto. O Gil postou. Sentei no colo do Ph , peguei meu iphone e fui ver a foto.- gilcebola: Pestinhas da minha vida  @dinhafontinelli @lizalbuquerque 
[@] elitenjr: olha a cara do Gil kkkkk 
[@] lehcampos: saudades .. 
[@] covinhasdogil: tá bêbado? jesusss kk
[@] lizalbuquerque: eu tinha que ter um saco só pra te aturar kkk love u 
[@] amordegilzete: ain scrr, que perfeitooooos *-* 
[@] bielmaciel: #extourodavodka em plena quarta feira 
[@] bondedotois: vcs não param hein? kk lindoos 
[@] ceboletes: Gil tá sendo carregado pelas meninas kkk #cadêamari 
Parei de ver lá . Continuamos ali por mais um bom tempo. O Gustavo levou o carro do Gil. E a Mari enfiou ele no carro do Gui junto com o Jota tbm. Depois ela tbm foi. E só sobrou eu, o Ph, a Dinha e o Junior.-
Dinha: ai gnt, tbm já vou. Ph: tá cedo po Dinha: tá nada, mó sono e eu tô com um pressentimento estranho tbm Liza: ih amg, que pressentimento? Njr: tá pressentindo que vai acabar casando cmg -deu um selinho todo torto nela- Dinha: ai seu idiota -riu- não sei o que é. Um pressentimento ruim mesmo.. Ph: é o sono , dorme que passa -riu- Njr: espertão quer despachar a gnt. -rimos- Ph: tu que tá falando. Dinha: vamo logo vai -riu mandou beijos no ar e foi indo-tchau e cuida da minha morena hein narigudo. Ph: melhor do que ngm baixinha -rimos de leve e ele me abraçou por trás.Enfim eles foram indo a pé até a casa da Dinha e depois ele só voltaria pra pegar o carro.- Liza: enfim sós ? Ph: enfim sós -sorriu e deu um beijinho no meu pescoço.- hm, que cheirosa. Liza: claro , tem que ser. -me levantei e sentei de novo no colo dele- até que tu tbm é cheirosinho -ele riu- Ph: e se eu viesse sem tomar banho, com a roupa e suor do jogo? tu ia me querer do mesmo jeito. eu sei Liza: tá convencido demais né não? Ph: confiança é tudo. As mina gosta -deu uma piscadinha e eu fingi ficar boquiaberta.- Liza: que minas? tá perdendo amor a vida meu Deus, só pode -ele riu. Começou a passar a mão nos meus cabelos. Ele ainda estava sentado de lado no banco com as pernas abertas e eu me deitei com a cabeça na sua barriga bem de frente. Eu o olhava com o rosto de cabeça pra baixo e achava que era uma miragem. Eu sempre conseguia ver algo de diferente naqueles olhos. Ele tbm estava me olhando. Sorria feito um bobo apaixonado. Hipnotizado talvez.- Liza: que foi ? Ph: só tô te olhando .. Liza: desse jeito ? Ph: que jeito? Liza: sei lá, parece que tá hipnotizado. Ph: você que me deixa assim .. -sorri sentindo minha bochechas esquentarem. Ficamos ali trocando carinhos em silêncio mais uns segundos.- Liza: tu nem terminou de falar da outra lá. Ph: quem? Liza: a bosti Ph: bosti -riu- que isso? Liza: não é Giovanna Bosti -ele gargalhou- Ph: sua doida Liza: fala o resto Ph: ela me falou que o pai dela teve uma boa melhora. Que logo ele volta pra casa. Liza: já sabia. Ph: como? -ai porra não era pra ter falado- Liza: ah .. é .. porque .. eu imaginei que ela fosse te ligar logo pra ir pra lá. Ph: hm , mais só assim que a gnt vai pode ficar sem culpa. Liza: sim, não te quero com culpa. Ph: não vai ser assim. A próxima vez que eu falaf com ela vejo se ele pode receber visitas. vai querer ir comigo? Liza: ahhhh , pro velho morrer de vez? não né -ele riu- Ph: beleza, vou sozinho. Liza: e volta no mesmo dia. Ph: cê que manda Liza: bom que cê sabe -fiz biquinho e ele me roubou um selinho. Nos abraçamos a ficamos assim.- tá frio .. Ph: não to conseguindo te esquentar? Liza: nem de um jeito e nem de outro -ri- Ph: ahhh, é assim? vamo pro carro agora -me pegou no colo e foi me levando. Me debati um pouco mais claro que eu tava gostando. Me pôs no chão e entramos lá.- já vou parar na porta da sua casa -assenti. Ele ligou o carro, deu a volta na praçinha e parou na porta.- pronto, agora vem cá -me puxou pelo braço. Me aproximei dele até encaixar minha cabeça no seu ombro. Peguei na mão dele e entralecei na minha.- Liza: olha que linda nossas mãos juntas .. -ele riu- não ri, é sério. Ph: a gnt combina, só isso. -sorrimos um pro outro- tira uma foto das mãos aí vai. -peguei meu celular e tirei- Liza: vou ficar olhando o tempo todo agora -ele pegou o celular dele e apontou pra mim.- Ph: tbm quero tirar, pra te olhar o dia todo. -sorri igual uma idiota e ele tirou a foto. Depois deitei de novo no peito dele. Ficamos ali conversando mó tempão. Quando eu já tava com sono me despedi dele e entrei. Fui direto pro meu quarto, tomei um banho, coloquei uma camisolinha azul clara e deitei. Peguei o celular e vi a foto lá das nossas mãos. Lembrei da foto da Giovanna.. Deu mó vontade de fazer ela lembrar de mim. Entrei no insta e mesmo que ele fiquei com raiva de mim, postei.- lizalbuquerque: um amor que pra mim era sonho..   
[@] princesamari: tá namorando @lizalbuquerque? [@] caioyukio: ?????? [@] bondedotois: *0* que foto lindaaa, é quem eu tô pensando ? [@] orgulhoph: aí gnt, ela namora meo, e vcs falando uns bgl ridiculo. [@] samsungphganso10:    [@] marinaprado: Linda foto [@] gansáticas: que isso geeeente ??? Ph comentou? Ai meu core, cmo assim? [@] loveforph: como assim meeeessmo. Então é isso? Ele tá cm ela @gansáticas ? [@] teampaugi: não viajaaaaaa, a gi postou uma foto agradecendo o apoio dele ontem ..
Parei de ver pra não ficar bolada. Tava morrendo de sono já. Virei pro lado e logo adormeci.. ~Liza off~
~Dinha on~ Ontem a gnt foi pro jogo e depois ficamos na pracinha aqui perto de casa. Me diverti pra caramba e tal mais o tempo todo tava com uma sensação estranha. De que alguma coisa ruim ia acontecer. Mais era só uma sensação mesmo porque não aconteceu nada. Fui pra casa já era bem tarde. Agora tô aqui na escola com as meninas. Acabou de dar o sinal pro intervalo. Descemos, fomos pra cantina, compramos o lanche e sentamos nos bancos lá. Comecei a comer e quando eu tava na metade a Mari tinha terminado já.- Mari: ai vou comprar outro Liza: quê? Tu já comeu?? Caraio tô nem na metade do bgl -riu- Dinha: outro? Tem uma draga aí dentro só pode mano. Mari: vão regular o que eu como tbm? Ah para, tô com fome Liza: não comeu nada antes de vim? Mari: comi , uns 3 pãozinho de queijo Dinha: nooosssa -ri- depois fala que o Gil tava apertando tuas gordurinha -rimos- Mari: ai me deixem ! -se levantou e foi lá comprar mais um. Continuei comendo e conversando com a Liza. De repente senti de novo aquela sensação.- Liza: nossa, que foi? Cê ficou branca! Dinha: não sei -coloquei a mão no coração sentindo um aperto- to sentindo um aperto no coração .. Desde ontem. Liza: credo amiga, oq será isso? Dinha: sei lá, um pressentimento ruim. Parece que alguma coisa vai acontecer coisa ruim. Liza: ai meu Deus, não vai acontecer nada não. Todo mundo sente isso as vezes ..
Dinha: mais desde ontem? Esquisito. -a Mari voltou e sentou lá do lado. Mudei o assunto pra disfarçar mais a sensação não passou mais. Depois que deu o sinal a gnt subiu de novo. Assisti as ultimas 3 aulas sem prestar mt atenção em nada. Quando deu o sinal pra saída, guardei tudo rápido e fui saindo.- Mari: me espera Amanda ! -ouvi a Mari chamando e continuei andando. Não sei o que tava acontecendo. Só queria ir embora. Fui andando o mais rápido possível por aquelas ruas e a cada esquina a angústia aumentava. Quando virei na minha rua, senti meu rosto molhado. Passei os dedos e vi que sem perceber tinha chorado. Quando olhei pra porta da minha casa o carro do meu pai entrando na garagem. Mais o que ele tava fazendo aqui essa hora? Vi ele saindo e fechando a garagem bem rápido. Quando fechou correu pra dentro de casa. Parecia desesperado, não sei. Comecei a correr sentindo a vontade de desabar no choro aumentando. O horrível era eu não fazer idéia do porque. Quando cheguei no portão minhas pernas bambearam. Abri o mesmo e subi as escadas lentamente agora. E finalmente abri a porta. Me deparei com a minha mãe sentada no sofá chorando desesperadamente e meu pai a abraçando. Voltei a chorar de imediato mesmo sem saber o que tava acontecendo.- Dinha: o que tá acontecendo aqui ? -fui me aproximando. Meu pai me olhou com os olhos pequenos e inchados.- fala! o que foi? Mãe .. mãe .. o que aconteceu mãe? -acabei de sentando do outro lado. Abracei ela tbm.- fala, por favor. Pai, me fala. Eduardo: o seu avô .. Dinha: o que tem ele? Ele passou mal do coração de novo? -meu pai negou. Acho que.. eu tinha entendido mais não podia acreditar.- pai .. fala .. Eduardo: o vô Luiggi morreu. -quando ele disse aquilo meu coração parecia ter parado por um segundo. Começou a vim vários flashs na minha cabeça. Eu não sabia como agir naquele momento. Boquiaberta abracei mais uma vez minha mãe e chorei com ela. Parecia que a dor dela se refletia em mim. Fazia alguns meses que eu não ia pro Guarujá visitar meus avós maternos. Peguei o rosto da minha mãe levantei.- Dinha: mãe olha, eu sei que o momento é difícil mais você tem que ser forte. Se a vovó te ver assim vai ser muito pior pra ela. Ela vai sofrer ainda mais. Vai ficar nervosa. Eduardo: ela tem razão meu amor, a Dona Angela vai ficar pior em te ver assim. -minha mãe continuava chorando. Eu não sabia o que fazer. Na verdade não tinha o que fazer. Só deixar o tempo fazer com que a dor passe. Fui me afastando devagar e fui pro meu quarto. Deitei de bruços na cama e enfiei um travesseiro na cara. Eu sabia que ia acontecer alguma coisa. Só não queria que fosse assim. Quando meu pai falou eu queria surtar. Mais ia deixar minha mãe pior. Pensei na minha vó. Nossa eles eram casados desde os 25 anos dela. Ela sempre falava isso. O que conforta é saber que foram 44 anos de muito amor nessa união. O que vai ser da minha vó Angela? Comecei a me lembrar de alguns momentos. Eu e o vô Luiggi lá na casa deles. Ele se sentou em frente ao piano.Me olhou com aquele olhar tão nobre, tão acolhedor. Sorrimos um pro outro. Ele me chamou com o dedo e eu fui correndo. Então ele me ergueu pela cintura e me colocou em seu colo. Segurei seus ombros e ele começou a tocar. Lindamente como de costume. Eu devia ter uns 8 anos. Ele fez isso diversas vezes. Enquanto tocava me olhava sorrindo como se estivesse vendo uma miragem. Eu tbm sorria inocente. Lembrando disso continuei de olhos fechados, tentando ouvir de novo aquela música. Eu sempre estragava no final. Tinha vontade de tocar igual á ele. Então eu apertava as teclas com pressa. Ele me olhava fingindo estar bravo e eu dava uma gargalhada que segundo ele era gostosa. E aí ele me enchia de cócegas me fazendo gritar de tanto rir. Então minha vó interrompia. "A menina vai cair Luiggi! " Aí ele parava. Eu descia do seu colo e corria pra minha vó. "Quer bolo de laranja?". Sempre o bolo de laranja. Tão bom. Com cobertura de leite condensado. De vez em quando,quando vou na padaria,compro só pra lembrar dela. Eu fui crescendo e esquecendo que ainda podia correr pros braços deles quando eu quisesse. A última vez que eu fui lá faz uns 4 meses. Comi o bolo de laranja. Mais não ouvi meu avô tocar. Ele estava de repouso. Há pouco tempo tinha passado mal do coração de novo. Provavelmente ele se foi por conta disso. Ele me pediu desculpas por não tocar. Eu beijei seu rosto e disse: "temos todo o tempo do mundo vovô" Ele sorriu e eu deitei a cabeça em seu colo. Quando ele passava mal dizia: "Não chora princesa do vô, não seja tão egoista. Os anjos tbm querem me ouvir tocar".Eu não sabia quanta verdade tinha naquela frase. Então dava risada. Eu não podia ser egoista. Mais aquela música vai ser minha.. Só minha ..pra sempre. Me contorci na cama e senti um vento frio invadir meu quarto e abraçar meu corpo. Voltei a chorar feito criança. Eu ainda queria ser a princesinha do vovô. E a bochechuda da vovó. Ouvi um barulho na porta do meu quarto e me assustei.- Eduardo: filha .. tá bem? .. -apenas neguei e ele veio. Me deitei no colo dele e continuei chorando- não era a hora pai. Tinha que ser depois. Não agora. -ele fez "shiii" e continuou com as mãos no meu cabelo. Me levantei de novo sentada na cama.- como foi ? -limpei as lágrimas- Eduardo: foi agora pouco. Sua vó acordou com o chamado dele. Foi o coração. Infarto fulminante. Foi ela mesma que ligou. Por isso sua mãe tá assim. Mais seus tios já estão lá cuidando de tudo. Dinha: o que vai ser da vovó agora .. Eduardo: tanto nós como seus tios querem que ela venha morar com um de nós. Mais ela não quer. Dinha: não quer? Ela tem que vim. Eduardo: você sabe que ela é cabeça dura. Ainda vamos conversar.Mais pelo visto a solução vai ser comprar uma casa perto de nós ou perto do seus tios. -assenti- Dinha: e a mamãe? Melhorou? Eduardo: parou de chorar pelo menos. Foi tomar um banho pra irmos resolver o interro e o velório junto com os seus tios. Dinha: eu tbm vou. Eduardo: não. Fica aqui. Eu te ligo quando tudo tiver resolvido. Chamas as meninas pra cá. Avisa quem você quiser. Já ligamos pros parentes. Dinha: mais quero ver minha vó Eduardo: filha, muita gnt em cima dela só vai atrapalhar -pensei uns segundos- Dinha: tá bom, vou chama as meninas daqui a poco. Eduardo: isso. Almoça, toma um banho e fica calma. Faz isso pela sua vó e pela sua mãe tá bom? Seja forte tbm. -ele me abraçou me fazendo entender.- vou tomar banho no seu banheiro pra ser mais rápido ok? Dinha: ok pai, vai lá. -ele foi. Enxuguei as lágrimas e fui até o quarto da minha mãe. Peguei ela saindo do banho. Ainda com o rosto inchado.- Dinha: eai meu amor. -ela se sentou na cama e eu sentei do lado dela- Luísa: como vc tá ? Dinha: triste .. Não queria que fosse agora. Não sinto que era hora sabe. Luísa: é, acho que pra mim nunca seria a hora. Nem pra mamãe. Dinha: talvez ele preferisse assim. Rápido, sem sofrimento. Ele não queria cair numa cama de hospital. A senhora sabe disso Luísa: sei sim. Isso me comforta um pouco. Ele não queria que ninguém tivesse pena ou sofresse por ele. Dinha: não mesmo. Ele dizia pra não sermos egoístas. Luísa: pra deixar ele tocar piano pros anjos. -riu fraco com o nariz- Dinha: tava lembrando disso agora mesmo. Luísa: eu tbm .. -ficamos em silêncio por alguns segundos- aquele velho vai fazer falta. -rimos. E eu passei a mão pelo cabelo dela- Dinha: vai sim. Mais as lembranças são boas. Ele se orgulhava muito de todos nós-ela assentiu- e por mesmo a gente tem que ser forte e continuar unidos. Ele quer isso, pode ter certeza! Luísa: tem razão minha filha. Temos que ser forte por ele e pela mamãe. Dinha: já tô sendo. -a abracei com força- Luísa: brigada meu amor, você que tá me passando essa força. -nos soltamos- Dinha e Luísa: te amo! -falamos juntas, sorrimos e eu dei um beijo nela.- Dinha: vou encontrar vcs depois. -ela assentiu e eu fui pro meu quarto. Meu pai tava saindo do mesmo de toalha. Foi pro quarto dele e eu entrei no meu. Peguei meu celular e procurei uma foto do vovô. Achei uma que tiramos no ano passado. Num churras na nova casa deles no Guarujá. Uma lágrima escorreu de novo e eu postei a foto no insta.- dinhafontinelli: Me faltam forças nesse momento. As palavras se tornaram mudas e vazias. Mais o seu espaço no meu coração estará sempre preenchido. Deus foi generoso conosco. Nos deixou desfrutar da sua presença todo esse tempo. E como você mesmo dizia, não podemos ser egoístas. Os anjos tbm querer ouvir você tocar piano. Lindamente, docemente. Infelizmente a dor é inevitável. Desculpa vovô, eu que te peço, por não estar sendo tão forte como você queria. Desculpa vovô por tantas vezes ter estragado a música no final. Todas as vezes que você me colocava no colo e tocava pra mim. Eu queria ser como o senhor. Tocar como o senhor. Por isso estraguei. Por isso está doendo. Fechei meus olhos pensando que era mentira. Quando abri vi a frieza da realidade. E o vazio que o senhor deixaste nas nossas vidas. Mais depois pensei que não era assim que o senhor imaginou que fosse quando dizia: "não chora princesa do vô, não seja tão egoísta com os anjos" Eu não serei. Só não prometo que não chorarei. Eu estou ouvindo vovô, ouço agora a sua música. Prometo não estragá-la. É linda demais. Estou protegida agora. Seu último abraço me veio em forma de vento agora pouco. E o cheirinho do bolo de laranja da vovó está aqui. Vai, Deus tá te chamando. Pra nós foi cedo demais. Mais os anjos estavam anciosos por esse momento. E agora você se tornou um deles. O mais querido. Sua música ainda é minha. Quando eu soube da sua ida pensei: "Parece um sonho ele ter ido". Mais agora posso dizer:"Parece um sonho ele ter vivido". Até mais vô Luiggi   
[@] felipeduarte: ô minha linda, forças p tia Lu e tio Du. Precisando tô aqui 
[@] bondedotois: força gatinha,q Deus conforte sua família 
[@] neymarjr: me liga agora loira!! 
[@] danilobertolli: #descansavôluiggi estamos juntos prima 
[@] lizalbuquerque: quê??? Não tô acreditando, tô indo pra aí! 
[@] princesamari: Que triste linda    força pra vc e sua família 
[@] mabittencourt: vô luiggi??? Não acredito amg. Pq não ligou? Tô indo aí 
[@] juntocomvcnjr: junior preocupado..Força diva! 
[@] rafaellabeckran:ai amiga, que noticia triste   . Me liga, tô preocupada agr
[@] samsungphganso10: responde no whats loira! 
[@] lailastos: nossa amiga, muita força pra vcs aí. Vou te chamar no whats 
[@] gilcebola: tamo junto, responde o whats
Parei de ler porque já tava chorando de novo. Levantei e fui na sala. Meus pais tavam saindo.- Eduardo: já vamos. A gnt liga quando estiver tudo.. -pausou- pronto. -assenti. Me aproximei e abracei minha mãe.- Dinha: já sabe né? A força vai vir de dentro de vc. -ela sorriu forçado. Abri a porta. E saí com eles. Parei na varanda e as meninas tavam entrando na minha casa. Os pais delas estavam lá fora esperando meus pais sairem. Elas vieram subindo. Primeiro foi a Liza que abraçou minha mãe.- Liza: ai tia Lu, muita força agora. A senhora precisa passar essa força pra vó Angela. Tenho certeza que o vô Luiggi vai olhar por todos nós. Ele era muito iluminado. A senhora sabe. -minha mãe somente assenti e continuou abraçando a Liza. Depois foi a vez da Mari a abraçar.- Mari: tia lu, esse momento é difícil mais as lembranças que ficam são boas. Vô Luiggi era muito alegre, não ia querer te ver sofrer. Fica bem. -se soltou da minha mãe.- Luísa: brigada meus amores, cuidem da Dinha pra mim. -elas assentiram, abraçaram meu pai e vieram. Meus pais desceram e os pais das meninas foram falar com eles. A Mari veio me abraçar.- Mari: ai amiga .. A gnt tá contigo viu? Como sempre. -nos soltamos. E abracei a Liza tbm.- Liza: isso mesmo. E se você sofre a gnt tbm sofre. E vc sabe que o vô luiggi não quer isso. -nos soltamos- Dinha: sei sim gnt , vamo entrar. -entrei com elas.- Liza: como tu tá ? Dinha: muito mal cara. Tava me fazendo de forte pra mim mãe -entrei no quarto com elas. Sentamos na cama.-
Mari: pode chorar se você for se sentir melhor. -e foi isso mesmo que eu fiz.Nós 3 deitamos abraçadas r choramos muito. Eu sabia que elas não me abandonariam. E que eu podia desabafar. Fiquei assim por longos minutos até a campainha tocar. A Mari foi lá atender pra mim. Depois ela voltou pro quarto junto com a Rafinha. Nem falei nada. Só abracei e ela tbm chorou cmg. Ficamos assim até eu terminar de desabafar. Depois me acalmei-
Rafa: o Junior falou pra vc ligar pra ele. Dinha: nossa, é mesmo. Vou acalmar o povo no whats primeiro. -peguei o celular e vi que tinha uma monte de chamadas de um monte de gnt. mais ignorei e fui pro whats. Fui no grupo do bonde e nem li os bgl pra cima.- ~#vemcomtoiss~ Dinha: tô aqui gente. desculpa deixar vcs preocupados. Gil: magina baixinha.. sei como é. Njr: pq tu não me ligou Amanda? tô preocupado. Ph: eai , como tu tá ? Dinha: pra falar a verdade tô mal Paulinho .. Já ia ligar Junior. Gui: tamo junto loira, onde tu tá? vou te ver. Dinha: tô em casa com as meninas Gui. Gui: sei que não devia perguntar isso mais, onde vai ser o velório? vou te ver. Dinha: tudo bem Gui, ainda não sei. Meus pais tão resolvendo. Mais assim que eu souber eu falo. Fiquei mais um tempo lá no grupo. Os outros meninos entraram tbm. Falaram pra eu ter força e tal, e pediram pra avisar sobre o velório. Depois saí e liguei pro Junior.- ~cdl~ Dinha: oi Ju Njr: nossa meo, olha esa voz ? tu deve ter chorado muito. tô preocupado de vdd. vou faltar no treino hj. Vou aí daqui a pouco.
Dinha: Não! não faz isso por favor. Njr: como não? não vou te deixar sozinha meo, para. Dinha: a Rafa e as meninas tão cuidando de mim. Njr: eu tbm quero cuidar. acha que eu não consigo? Dinha: não é isso. Não fala assim tbm. Pelo menos hj não. Njr: desculpa amor -amor?- to preocupado. Que horas posso ir aí? O velório vai ser que horas? Dinha: Não Junior, por favor. Vai treinar. A noite você vem me ver.. -ele ficou uns segundos calado- tá Junior? Njr: fala porque você não quer que eu vá. Dá pra ver que vc não quer me ver aí. Dinha: será que tu não consegue compreender o momento? -começei a chorar- eu sei que você tá preocupado. Mais sinceramente não quero expor minha família. E nem você. Você sabe que se vier nossa privacidade já era. E eu não quero isso. Tô mal. Minha família não precisa ser exposta nesse momento. Njr: tudo bem , eu entendo agora. Me perdoa por ter insistido. Sabe pelo menos quando eu vou poder te ver? Dinha: a noite .. eu te ligo assim que der. Os meninos vão estar comigo. Não precisa se preocupar. Njr: tá bom, vou esperar você ligar. Só me promete que vai ficar bem? Dinha: vou tentar ok? Njr: ok .. um beijo. Dinha: beijo. -esperei uns segundos, ele não desligou. Nem eu.- Neymar! Njr: Amanda! -falamos juntos- fala -riu- Dinha: não, pode falar. Njr: nada, só ia falar pra você se cuidar. Dinha: ah .. ta bom. você tbm. Beijo. Njr: beijo, tchau Dinha: tchau. ~fdl~ Rafa: ele quer vir né?
Dinha: quer. Liza: eu tbm acho melhor ele não vir. Vou até ligar pro Henrique. Vai que ele aparece por aqui. -se levantou e foi pra fora do quarto.- Mari: é, melhor assim. Vcs precisam de privacidade agr -assenti. Elas continuaram ali comigo. Eu esquecia as vezes o acontecido. Mais na maioria do tempo a tristeza vinha com força.As meninas acabaram me convencendo de tomar banho. Então eu fui. Foi bom deixar a água percorrer pelo meu corpo. Tirou um pouco do peso que eu tava sentindo. Quando saí só a Rafa tava no quarto. Me troquei colocando um vestidinho azul. A Rafa secou meu cabelo. Depois fui pra cozinha com elas e as meninas tinham feito almoço. Comemos lá tudo e depois ajudei na louça. Afinal, a casa era minha né? Quando a gnt voltou pro quarto meu celular tocou. Peguei o mesmo e era meu pai.- Dinha: dá pra alguém atender pra mim? Vai ser meio .. Difícil. -elas me olharam e a Mari pegou o celular e saiu pra atender. Ficamos olhando pra ela e depois de uns segundos ela voltou.- Mari: tá tudo resolvido amiga. O corpo tá chegando e o ve..velório é daqui á meia hora no memorial mesmo. Rafa: então vai ser as três da tarde ? Mari: isso, pra fazer o enterro ás seis. Sua vó preferiu que fosse logo. -assenti deixando algumas lágrimas caírem.- Liza: então , vamos lá princesa? Levantar a cabeça pra coroa não cair. -sorri forçado, enxuguei mais umas lágrimas. A Mari e a Liza foram se "arrumar". A Rafa continuou comigo. Coloquei uma calça jeans, uma blusa preta de cetim, de botão e manga longa. Fiz um rabo de cavalo alto, calcei a sapatilha preta, peguei meu óculos e minha bolsa. Fui saindo de casa e as meninas estavam me esperando dentro do taxi. Pedi pra elas avisarem os meninos tbm. Entrei no taxi e partimos. Parece que o caminho foi tão rápido. Assim como "ele" nos deixou.. Pelo menos pra mim. Bom, chegamos lá e já tinha bastante gente. Toda a minha família. Falei com muita gente. Acho que eu tava adiando entrar lá pra dentro. Mais quando olhei pra lá, vi minha vó. Abraçada com a minha mãe. As duas se fazendo de forte. Decidi entrar. Fui indo devagar e vi o rosto do meu avô. Finalmente me aproximei. O olhei não querendo acreditar que aquela música não podia mais ser tocada por aqueles dedos. Ela agora existia só pra mim. Cheguei perto "delas" e simplesmente as abracei. Ficamos sim por longos minutos. Era isso que ele queria. Nós três juntas .. [..]
~Amanda off~
~Mari on~ Hoje tá sendo um dia difícil. Vô Luiggi se foi. Ele era um homem muito iluminado. De bom coração. Pra mim tbm foi cedo.. A Dinha tá muito mal. A gnt tá tentando passar muita força pra ela. Nesse momento estamos no velório. Parece que tá no final. O Gil tá aqui do meu lado. Aliás ele não saiu do meu lado. Meus pais estão do outro lado. Minha mãe olhou pra cá algumas vezes mais não ficou encarando o Gil. Não sei se percebeu alguma "coisa" entre nós. Não direito o porque mais ainda não estou pronta pra apresentar ele pros meus pais. Agora ele passou o braço pela minha nuca e eu tirei.-
Gil: porra Mariana já é a terceira vez que tu se esquiva de mim. Que é? Mari: nada meo, só não quero ficar de agarra agarra aqui né. Gil: mais nós somos um casal, ou não somos? Mari: claro que somos! Mais não precisa ficar se agarrando aqui. Gil: tá bom, não vou insistir não, relaxa, jâ entendi. -continuamos ali lado a lado. Os meninos tavam mais pra lá com a Dinha. Demorou mais uns 15 minutos e vieram pra fechar o caixão. Foi doloroso demais ver a Vô Angela chorando desesperadamente. Não consigo descrever. De verdade mesmo. Fomos indo atrás do caixão que estava sendo levado pra gaveta do memorial. Todos em silêncio, só se ouvia os fungados de choro e os barulhos lentos dos sapatos batendo no chão. Quando chegamos, eu nem quis olhar. Fui lra perto da Dinha que soluçava de tanto chorar. Tirei ela dali de muito perto. A abracei e logo todo mund estava em volta dela. Quando olhei pra trás tudo já estava "feito". Que Deus esteja o esperando, os anjos devem estar preparando uma grande festa. Ele era digno disso. Fomos voltando na frente de todos. A Dinha não estava mais suportando. Enfiei ela no carro do Gil mesmo. Deixando todo mundo pra trás. A coloquei no meu colo e a deixei chorar. Nesse momento vai ser bom. Em poucos minutos paramos na nossa rua.- Mari: vou entrar com vc Dinha: não, eu quero ficar sozinha. Mari: sozinha? Não vai ser muito pior? Gil: tbm acho loira, agora o bom é ficar perto de que gosta de ti. Dinha: não, eu preciso organizar de novo os meus pensamentos. Mari: tudo bem né. Você liga? Por favor? Gil: ou grita, berra , sei lá -ri forçado- Dinha: sim, e daqui a pouco o Junior vem aqui. Mari: beleza, então vai lá -beijei sua testa, ela mandou beijos no ar e foi.Passei pra frente pra ficar do lado do Gil.- Mari: que barra né? Gil: pois é .. Difícil perder quem a gnt ama. Mari: é, por mais que já tenha uma certa idade. Gil: por isso a gnt tem que dar valor enquanto é tempo. Mari: claro .. Gil: não só com parentes. Mari: tá falando isso porque? Gil: nada Mari: ah Gil, para né. Gil: então fala aí , tava com vergonha de mim? Mari: quê? Do que tu tá falando? Gil: não se faz de boba. Tu não queria encostar em mim. Mari: eu já te falei porque. Gil: uhum tá, você não queria que seus pais vissem. Isso sim. Mari: eu nunca escondi de você que não tava preparada pra isso ainda. Gil: não tá preparada? Depois de quase 3 meses? Pelo amor Mariana. Mari: o que eu posso fazer? Não tô. Gil: e depois vem falar que me ama.. Mari: e você? Hein? Porque tu não assume logo que tá caidinho, xonadinho por mim ? [...]

CONTINUA

Ta ai meninas, obrigada pelos comentários, e agora quem reclamar que o capitulo ta pequeno vai apanhar kkkk brinkss. É isso gatinhas, beijos e até a próxima    

40 comentários:

  1. Awnt amei, que triste a morte do avô dela, é Liza tu tinha razão choreii junto com a Dinha, mas amei o cap continua logo...

    ResponderExcluir
  2. Gente que triste juro que chorei lendo , esse cap foi perfeito sem mais , #forçadinha. Quero mais nn demora tanto a postar gosto tanto disso

    ResponderExcluir
  3. Semmm Orr ! To chorando até agr, ta maravilhoso, ótimo... Não tenho palavras pra descrever, esta simplesmente Perfeito !! continua logoo amorees !!

    ResponderExcluir
  4. Que cap triste :'(..só quero vê a resposta do Gil...Continua
    Amanda

    ResponderExcluir
  5. Meu Deus, que tristeeee. O gil tem que dizer que ama a maria pra ela e ela tem que apresentar logo ele pra os pais dela, vai ser lindooo. N demora a postar pfvrrrr, ta perfeeeeito

    ResponderExcluir
  6. Hahahhh... gente eu chorei igual criança mesmo na parte da morte do vo da dinha... Chorei demaaais mesmo ! Foi "lindo" ... rs' casais perfeitos ! E por favor, nao quero que gil e mari briguem de nobo ne, haha :) -Maari. Continua

    ResponderExcluir
  7. Lendo esse cap lembrei do meu vô que se foi, e chorei junto... Acho que é inevitável não chorar com isso, da até um aperto no coração, seila.. E eu que não gosto de chorar, quando percebi já tinha chorado rs
    Vocês são demaissss, o que vocês escrevem parece totalmente real, em tudo! Parabensss

    ResponderExcluir
  8. Perfeito como sempre ,

    ResponderExcluir
  9. Oh nooo! Posta maiiiiiiiiix

    ResponderExcluir
  10. uhuuuuuul posta mais, ta cada vez mais perfeituuuuuu, minhas "quis" lindasss !

    ResponderExcluir
  11. Maaaaaais. Pra sempre mais. Pft

    ResponderExcluir
  12. Uauuuu , me emocionei e tudo , podem continuar eu deixo , e liza serve pra vc tbm hein ? rs. Ingrid aq :*

    ResponderExcluir
  13. Continuaaa *o* mega curiosa aqui,ta cada vez melhor

    ResponderExcluir
  14. Oooiii kkkk to atrasada pra comentar néé ?? kkkk coontiinuuuuaa !! Taadiinhaa da Dinha ='( ... Agooora o Gil tem que assumir que ama a Mari !! Só achoo assim !! kkk

    ResponderExcluir
  15. OMG +++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  16. Quando eu falo q aqui é pft ngm acredita! kkk Mentira, acredita sim. Continuaaa

    ResponderExcluir
  17. Ai q falta q senti daqui. Viajei e só vim ler esse cap agora. Pergeitooooooo

    ResponderExcluir
  18. +++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  19. Continuaaaa gabi :)

    ResponderExcluir
  20. +++++++++++++++++++++++++++

    Manuela Marques @manumarqes

    ResponderExcluir
  21. EU NÃO SEI O QUE DIZER !! Só uma palavra pro blog de vocês::::::: Perfeição ! Eu amo isso aqui *-* continuem logo ... Babi

    ResponderExcluir
  22. Pooooooooooostaaaaa logooooo.. haha

    ResponderExcluir